Twitter para empresas não é seguir todo mundo

O Twitter é uma ferramenta, que apesar de nova, já faz parte da vida de muita gente. Uma mistura de rede social com microbloging que já ultrapassou um bilhão de mensagens e cresce mais a cada dia. Apesar de nascer com o objetivo de informar “O que você está fazendo?”, já serviu para salvar uma pessoa que foi presa no Egito, como ferramenta política para campanha do Obama e para mães enfurecidas tirarem uma campanha de marketing do ar com mensagens no Twitter.

As empresas mais antenadas já começaram a experimentar esta ferramenta. Da lista das 100 primeiras empresas da Fortune, 36 já estão no Twitter.

Como tudo que é novo, surgem as experimentações, o que é normal, mas se deve ter cuidado para não abusar. Antes de entrar no Twitter, pense qual será seu objetivo. Um canal de comunicação com o cliente como o da Comcast, servir de apoio ao RSS como a HSM Global ou como conversação como a TysonFoods e a Camiseteria fazem. A Dell por exemplo usa diversas contas no Twitter para atender vários objetivos como descontos, novidades e troca de idéias.

O Twitter, tal como um blog, é uma ferramenta de conversação. Relacionamento. Por isto é fundamental saber ouvir. Se vai participar dele é preciso entender sua linguagem e seus memes como #CORRÃO, #Comofas ou #prontofalei. O meme #motrinmoms foi capaz de baleiar a Johnson & Johnson’s. Também evite perfis falsos, pois a comunidade é esperta. Excessões apenas para casos como o caricato Vitor Fasano que é garantia de uma grande diversão.

Com relação a divulgar o seu Twitter, não cometa o erro de seguir todo mundo. Existem até programas que seguem automáticamente usuários. Procure seguir apenas quem é realmente é ligado ao seu assunto, evitando o “ataque de seguidores” que algumas agências praticam. Ao invés de passar uma imagem “cool” para seus seguidores, você pode virar um grande spammer. Criei uma conta para divulgar o @livroseo e antes mesmo do lançamento do livro já haviam mais de 60 usuários heavy users seguindo. Sem precisar seguir ninguém.

Mesmo que você decida que não vale a pena que sua empresa crie um conta no twitter, você pode acompanhar o que falam da sua empresa ou produto. Um exemplo seria acompanhar o que é escrito sobre a #Velox para poder ver oportunidades e aprender com erros. Você pode acompanhar também termos relacionados a sua área. Você pode até nem gostar do Twitter, mas não pode ignorar a força dos 140 caracteres. Por este prisma, este artigo ficou longo né?

Ah, se você não sabe, o meu é @webpaulo. Sigam-me os bons. :)

3 Comentários »

  1. Thiago Moskito said,

    May 7, 2009 @ 1:58 pm

    Muito bom este post, interessante! Vou recomendar agora mesmo.
    Vamos (nossa equipe) adquirir alguns livros neste mês e fiquei muito interessado no seu, será que tem pra vender no submarino?

    Vou procurar, caso não, compro diretamente aqui.

    Abraços, bom trabalho.

  2. Felipe Ranieri said,

    May 9, 2009 @ 11:36 am

    É Paulo, ignorar o “BOOM” do Twitter hoje é fechar os olhos para o mercado. O simples fato de acompanhar o que falam sobre o seu negócio pode vir a criar grandes oportunidades e melhorar bastante o seu produto.

    Ótima dica.

    Um abraço

  3. Web Designer | Raphael Figa said,

    June 30, 2009 @ 5:23 pm

    O exemplo da Dell é interessante pois se tem várias contas fica facil de organizar e administrar noticias, pois lançar um twett sobre “Super Hiper Mega Promoção do Notebook com Windows Vista” e logo depois “Desculpas a todos os clientes que compraram com Windows Vista e descubriram que a instalação era pirata” fica compromete a marca até para aqueles que chegaram ao seu twitter através de um link por exemplo, @raphaelfiga

RSS feed for comments on this post · TrackBack URI

Comente

Livro SEO Otimização de Sites

Página Inicial | O que Otimização de Sites? | Autor | Blog do livro | Contato